CAPA da Revista Amplamente (1).png

ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO NA SEGURANÇA DO PACIENTE

Leonidas Nelson Martins Júnior
Universidade Federal de Juiz de Fora
http://lattes.cnpq.br/3159919710079489
E-mail: boleonidas@hotmail.com

DOI-Geral: http://dx.doi.org/10.47538/RA-2022.V1N2
DOI-Individual: http://dx.doi.org/10.47538/RA-2022.V1N2-04


RESUMO:

O tema deste estudo foi atuação do enfermeiro na segurança do paciente. O estudo foi qualitativo e descritivo, e teve como objetivo identificar os elementos que compõem o processo de comunicação da equipe de enfermagem, analisar as estratégias de comunicação utilizadas pela equipe e discutir seu impacto no cuidado. Técnicas de análise de conteúdo temática são aplicadas aos dados. É fundamental aplicar esses conceitos ao domínio do bem-estar e perceber que, uma vez concluído o processo, a comunicação ocorre e o destinatário é compreendido. Por isso é importante alinhar as equipes com estrutura e padronização para evitar perdas de informações, principalmente quando interferem diretamente no atendimento ao paciente. Para a equipe assistencial, a comunicação é uma forma de interação, um meio de entendimento entre as pessoas e uma ferramenta para transmitir informações verbalmente.


PALAVRAS-CHAVE:

Equipe de enfermagem. Segurança do paciente. Cuidados.

BIOGRAFIA DO AUTOR:

Possui graduação em Enfermagem pela Universidade Presidente Antônio Carlos (2005). Atualmente é Enfermeiro da Universidade Federal de Juiz de Fora. Tem experiência na área de Enfermagem.

REFERÊNCIAS

CARRIJO, A. R.; OGUISSO, T. Trajetória das Anotações de Enfermagem: um levantamento em periódicos nacionais (1957-2005) Revista Brasileira de Enfermagem REBEn. v. 59, p. 454-458, 2006. Disponível em: <http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=267019616012>. Acesso em: 04 jun. 2022.

DOMINGUES, A. N.; LURENTI, T. C.; GRAZZIANO, E. S.; ZEM-MASCARENHAS, S. H. A enfermagem e a segurança do paciente. Revista Espaço Saúde, Ano 1, n. 3, 2012. Disponível em http://www.revistaespacosaude.com.br/a-enfermagem-e-a-seguranca-do-paciente/. Acesso em 06 jun 2022.

MELO, J. D. S. et al. Comunicação da equipe de enfermagem com foco na segurança do paciente: revisão integrativa. Recisatec- Revista Científica Saúde e Tecnologia. ISSN 2763-8405, v. 2, n. 1, p. e2171-e2171, 2022.


MENDES, W.; TRAVASSOS, C.; MARTINS, M.; NORONHA, J. C. Revisão dos estudos de avaliação da ocorrência de eventos adversos em hospitais. Rev Bras Epidemiol, v. 8, n. 4, p. 393- 406, 2005. Diponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbepid/v8n4/06.pdf>. Acesso em: 10 jun. 2022.


BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria no 529, de 1o de abril de 2013. Institui o Programa Nacional de Segurança do Paciente (PNSP). Diário Oficial da União da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 2013. Disponível em: <https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2013/prt0529_01_04_2013.html>.
Acesso em: 06 jun. 2022.


MOURA, M. L. O.; MENDES, W. Avaliação de eventos adversos cirúrgicos em hospitais do Rio de Janeiro. Rev. bras. epidemiol. v. 15, n.3, set. 2012. Disponível em: <https://www.scielo.br/j/rbepid/a/ZV8SFG3rBWHCDRndLg4H7vr/?lang=pt>. Acesso em: 15 jun. 2022.

NEVES, L. A. C; MELGAÇO, R. M. T. A identificação do paciente como indicador de qualidade. 2011. Dissertação de Mestrado. Disponível em https://proqualis.net/dissertacao/identifica%C3%A7%C3%A3o-do-paciente-como- indicador-de-qualidade Acesso em: 02 de jun de 2022.

NIGHTINGALE F. Notas sobre a enfermagem: o que é e o que não é. Tradução de Amália Correa de Carvalho. São Paulo (SP): Cortez; CE-Pen, 1989.

 

OMS – Organização Mundial da Saúde. Aliança Mundial para a Segurança do Paciente. Programa 2008-2009. Genebra, Suíça. 2008. Disponível em: http://www.paho.org/bra/index.php?ption=com_content&view=article&id=931&Itemi d=1. Acesso em 04 jun.2022.


PAIVA, M. C. M. S.; PAIVA, S. A. R.; BERT, H. W.; CAMPANA, A. O. Caracterização das quedas de pacientes segundo notificação em boletins de eventos adversos. Revista da Esc Enferm USP, n. 44, v. 1, p. 134-8, 2010. Disponível em: <https://www.scielo.br/j/reeusp/a/xt64sR4frFTVgYgBnzFLgxh/>. Acesso em: 10 set. 2022.


PEDREIRA, M. L. G. Práticas de enfermagem baseadas em evidências para promover a segurança do paciente. Acta Paul Enferm, v. 22 (Especial - 70 Anos) p. 880-1, 2009.

 

PNSP- Programa Nacional de Segurança do Paciente lança normas e guias para atendimento hospitalar. FioCruz. Fundação Oswaldo Cruz. 15 out. 2013. Disponível em: <https://portal.fiocruz.br/noticia/programa-nacional-de-seguranca-do-paciente-lanca-normas-e-guias-para-atendimento-hospitalar>. Acesso em: 10 ago. 2022.

SILVA, A. E. B. C. Segurança do paciente: desafios para a prática e a investigação em Enfermagem. Rev. Eletr. Enf, v. 3, n. 12, p. 422, 2010. Disponível em: <https://revistas.ufg.br/fen/article/view/11885>. Acesso em 04 jun. 2022.


WEGNER, W. A segurança do paciente nas circunstâncias de cuidado: prevenção de eventos adversos na hospitalização infantil. Tese. [Doutorado]. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Enfermagem. Programa de Pós-Graduação em Enfermagem. Porto Alegre: 2011, p. 156. Disponível em:
<http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/29132/000776300.pdf?sequence=1>. Acesso em: 04 jun.2022.


FIGUEIRÊDO, G. A. Avaliação da aplicação das normas de segurança do paciente na assistência de enfermagem em UTI. 2019.

OLINO, L. et al. Comunicação efetiva para a segurança do paciente: nota de transferência e Modified Early Warning Score. Revista Gaúcha de Enfermagem, v. 40, 2019.


TAVARES, I. G. A. M. Segurança do Paciente na Internação Hospitalar Psiquiátrica: Mapeamento de Eventos Adversos. Editora Dialética, 2022.

 

VICARI, T.; LAGO, L. M.; BULGARELLI, A. F. Realidades das práticas da Estratégia Saúde da Família como forças instituintes do acesso aos serviços de saúde do SUS: uma perspectiva da Análise Institucional. Saúde em Debate, v. 46, p. 135-147, 2022.

CAPA Revista Amplamente 2.png

COMO CITAR:

MARTINS JÚNIOR, L. N. Atuação do enfermeiro na segurança do paciente. Revista Eletrônica Amplamente, Natal/RN, v.1, n. 2, p. 32-43, abr./jun. 2022.

Publicado: 28/04/2022

LICENÇA:

 

Licença CC-BY-NC-ND

Todo o conteúdo desta Revista eletrônica está licenciado sob uma Licença de atribuição Creative Commons. Atribuição-NãoComercial-
SemDerivações 4.0 Internacional.

Atribuição — Você deve dar o crédito apropriado, prover um link para a licença e indicar se mudanças foram feitas. Você deve fazê-lo em qualquer circunstância razoável, mas de nenhuma maneira que sugira que o licenciante apoia você ou o seu uso.

NãoComercial — Você não pode usar o material para fins comerciais.

SemDerivações — Se você remixar, transformar ou criar a partir do material, você não pode distribuir o material modificado.