CAPA da Revista Amplamente (1).png

ATENDIMENTO INICIAL DA PARADA CARDIORRESPIRATÓRIA E CUIDADOS PÓS-PARADA

Leonidas Nelson Martins Júnior
Universidade Federal de Juiz de Fora
http://lattes.cnpq.br/3159919710079489
E-mail: boleonidas@hotmail.com


DOI-Geral: http://dx.doi.org/10.47538/RA-2022.V1N2
DOI-Individual: http://dx.doi.org/10.47538/RA-2022.V1N2-02


RESUMO:

Trata-se de estudo aprofundado acerca do tema “Atendimento inicial da parada cardiorrespiratória e cuidados pós-parada”, cujo objetivo é avaliar o conhecimento técnico de enfermeiros referente ao atendimento em PCR e relacionando- o com o tempo decorrido da capacitação. A Parada Cardiorrespiratória (PCR) diz respeito a uma interrupção inesperada da circulação sistêmica no indivíduo, com expectativa de restauração da função cardiopulmonar e cerebral. Atualmente, vem sendo praticada em muitos hospitais como chamadas Equipamentos Médicos de Emergência ou Tempo de Resposta Rápida, que tendem uma atualização efetiva por meio da identificação e tratamento da deterioração clínica dos pacientes e visuais dificuldades enfrentadas pela equipe de enfermagem no atendimento à parada cardiorrespiratória a proposto de tratamentos breves e ajeitados. A metodologia aplicada neste trabalho foi pesquisa bibliográfica, realizada por meio de levantamento e busca de informações e relatos atuais, em revistas, livros, artigos, monografias já prontas e matérias que tratavam do tema.


PALAVRAS-CHAVE:

Enfermagem. Emergência. Dificuldade. Identificação e manuseio da Parada Cardiorrespiratória.

BIOGRAFIA DO AUTOR:

Possui graduação em Enfermagem pela Universidade Presidente Antônio Carlos (2005). Atualmente é Enfermeiro da Universidade Federal de Juiz de Fora. Tem experiência na área de Enfermagem.

REFERÊNCIAS

AMERICAN HEART ASSOCIATION (AHA). Guidelines for Cardiopulmonary Resuscitation and Emergency Cardiovascular Care. International Consensus on Science, Circulation, v.112, p.1-211, 2015.


BAHR, U., TIDONA, C. A.; DARAI, G. (1997). The DNA sequence of Chilo iridescent virus between the genome coordinated 0±101 and 0±391: similarities in coding strategy between insect and vertebrate iridoviruses. Virus Genes 17, 59–66.


CAVALCANTI, T.M.C.; LOPES, R.S. O atendimento a parada cardiorrespiratória em unidade coronariana segundo o protocolo Utstein. Acta Paul Enferm. 2006.

 

FALCÃO, L. F. R.; COSTA, L. H. D.; AMARAL, J. L. G. Emergências Rízia Rocha Menezes, Anna Karina Lomanto Rocha. InterScientia; João Pessoa, v.1, n. 3, p. 2-15, fundamentos e práticas. 1. ed. São Paulo: Martinari, 2010.


GONÇALES, P. D. S. et al. Redução de paradas cardiorrespiratórias por times de resposta rápida. Einstein, São Paulo, v. 10, n. 4, p. 442-448, 2012.


GONZALEZ M. M. et al. I Diretriz de Ressuscitação Cardiopulmonar e Cuidados Cardiovasculares de Emergência da Sociedade Brasileira de Cardiologia. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. Revista da Sociedade Brasileira de Cardiologia, Rio de Janeiro, v. 101, n. 2, supl. 3, p. 1-221, ago. 2013.


GRAÇA, T. D.; VALADARES, G. V. O (Re)Agir da Enfermagem Diante da Parada Cardiopulmonar: um desafio no cotidiano. Esc Anna Nery. Rev Enferm, Rio de Janeiro, v. 12, n. 3, p. 411-416, set. 2008.


LADEIRA JP. Ressuscitação cardiopulmonar. In: Martins HS, Brandão Neto RA, Scalabrini Neto A, Velasco IT. Emergências clínicas: abordagem prática. 3 ed. São Paulo: Manole; 2007. p. 3-17.


LANE, J. C. Novas Diretrizes de Reanimação Cardiorrespiratória Cerebral da Sociedade Americana de Cardiologia (2005 - 2006). Arq Bras Cardiol, Rio de Janeiro, v. 89 n. 2, p. 17- 18, 2007.

LAURENT, I.; MONCHI, M.; CHICHE, J.D; JOLY, L.M, SPAULDING, C.; BOURGEOIS, B. et al. Reversible myocardial dysfunction in survivors of out-of-hospital cardiac arrest. J Am Coll Cardiol. 2002.v. 40, n.12, p. 2110-16.

LINO, R. L. O. Assistência de Enfermagem à Pacientes Adultos no Suporte Básico de Vida em Parada Cardiorrespiratória. Monografia. Batatais: Centro Universitário Claretiano. In: ARAÚJO, L. P. et al. Conhecimento da equipe de enfermagem sobre o protocolo Ressuscitação Cardiopulmonar no setor de emergência de um hospital público. Revista Univap, São José dos Campos (SP), v. 18, n. 32, dez. 2012.


MATSUMOTO, I. A Atuação da equipe multiprofissional no atendimento da PCR. [S.l.: s.n.], 2009.


PARNIA, S.; SPEARPOINT, K.; FENWICK, P.B. Near death experiences, cognitive function and psychological outcomes of surviving cardiac arrest. Resuscitation. 2007, 74, p. 215-21.


VIEIRA, P. B. et al. O papel do enfermeiro diante de uma parada cardiorrespiratória em ambiente de trabalho. Revista Eletrônica de Enfermagem do Centro de Estudos de Enfermagem e Nutrição, v. 2, n. 2, ago./dez. 2011.

CAPA Revista Amplamente 2.png

COMO CITAR:

MARTINS JÚNIOR, L. N. Atendimento inicial da parada cardiorrespiratória e cuidados pós-parada. Revista Eletrônica Amplamente, Natal/RN, v. 1, n. 2, p. 10-18, abr./jun. 2022.

Publicado: 20/04/2022

LICENÇA:

 

Licença CC-BY-NC-ND

Todo o conteúdo desta Revista eletrônica está licenciado sob uma Licença de atribuição Creative Commons. Atribuição-NãoComercial-
SemDerivações 4.0 Internacional.

Atribuição — Você deve dar o crédito apropriado, prover um link para a licença e indicar se mudanças foram feitas. Você deve fazê-lo em qualquer circunstância razoável, mas de nenhuma maneira que sugira que o licenciante apoia você ou o seu uso.

NãoComercial — Você não pode usar o material para fins comerciais.

SemDerivações — Se você remixar, transformar ou criar a partir do material, você não pode distribuir o material modificado.