CAPA da Revista Amplamente (1).png

ENSINO DE HISTÓRIA EM UMA PERSPECTIVA INCLUSIVA: DIDÁTICAS DIFERENCIADAS PARA ALUNOS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL

Caroline Rodrigues de Freitas Fernandes

Universidade do Estado do Rio Grande do Norte.

https://orcid.org/0000-0002-9198-6746

http://lattes.cnpq.br/5956672837215695

E-mail: caroline_brum2005@hotmail.com

DOI-GERAL: http://dx.doi.org/10.47538/RA-2022.V1N1
DOI-INDIVIDUAL: http://dx.doi.org/10.47538/RA-2022.V1N1-03


RESUMO:

Segundo dados do Censo Escolar de 2015 mais da metade dos estudantes matriculados simultaneamente na Educação Especial e em classes comuns, são estudantes com deficiência intelectual. Por isso, faz-se necessário o uso de diferentes ferramentas e metodologias para a prática didática com alunos com deficiência intelectual. A pesquisa apresenta como objetivo geral levantar, por meio de uma revisão bibliográfica, da produção científica de uso de ferramentas e metodologias para a prática docente do professor de história para alunos com deficiência intelectual. E como objetivos específicos propõe-se analisar nas bibliografias existentes a presença de metodologias de ensino diversificadas, de novas linguagens e recursos que favoreçam o processo de ensino e aprendizado de História para os estudantes com deficiência intelectual. A metodologia usada foi a revisão bibliográfica, onde analisamos nas bibliografias existentes a presença de metodologias de ensino diversificadas, de novas linguagens e recursos que favoreçam o processo de ensino e aprendizado de História para os estudantes com deficiência intelectual. Baseado em autores como Vygotsky (2001), Oliveira (2011), entre outros.


PALAVRAS-CHAVE:

Ensino de História. Educação Inclusiva. Didáticas. Deficiência intelectual.

BIOGRAFIA DO AUTOR:

Especialista em Mídias na Educação pela Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN). Pós-graduanda em Educação Inclusiva pelo Instituto Federal de Educação Ciências e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN). Graduada em Licenciatura em História pela Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN). Graduada em Licenciatura Plena em Pedagogia pela Faculdade UNOPAR. Técnica em Contabilidade pelo Centro de Educação Integrada Monsenhor Honório (CEIMH). Atua como professora da Rede Pública e Privada em Macau/RN. Atuou como professora da Escola Técnica Fanex Rede de Ensino – Macau/RN.

REFERÊNCIAS

AAIDD. Asociación Americana de Discapacidades Intelectuales y del Desarrollo. Discapacidad Intelectual: definición, clasificación y sistemas de apoyo. 11a Edición. Traducción: Miguel Ángel V. Alonso. Editorial Alianza, S.A., Madrid, 2010.


AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION. Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais. Texto Revisado. DSM-IV-TR. Artmed, 2003. Disponível em http://www.niip.com.br/wp-content/uploads/2018/06/Manual-Diagnosico-e-Estatistico- de-Transtornos-Mentais-DSM-5-1-pdf.pdf acesso em 02/06/2021.

BRASIL. Indicadores da Educação Especial. Brasília: MEC, 2015. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=17655- secadi-principais-indicadores-da-educacao-especial&category_slug=junho-2015-pdf&Itemid=30192%20.


BRASIL. Decreto No 3.298, De 20 De Dezembro De 1999. Regulamenta a Lei nº 7.853, de 24 de outubro de 1989, dispõe sobre a Política Nacional para a Integração da Pessoa Portadora de Deficiência, consolida as normas de proteção, e dá outras providências. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/d3298.htm acesso em 03/06/2021.


FONSECA, Selva Guimarães. Didática e Prática de ensino em História. 7 ed.Campinas: Papirus, 2008. v. 1.

 

GIL, Carlos, A.Como Elaborar Projetos de Pesquisa.6a edição. São Paulo, Atlas, 2017.


MANUAL DIAGNÓSTICO E ESTATÍSTICO DE TRANSTORNOS MENTAIS [recurso eletrônico]: DSM-5 / [American Psychiatric Association ; tradução: Maria Inês Corrêa Nascimento ... et al.] ; revisão técnica: Aristides Volpato Cordioli ... [et al.]. – 5.ed. – Dados eletrônicos. – Porto Alegre : Artmed, 2014.


MANTOAN, Maria Tereza Eglér; BATISTA, Cristina Abranches Mota. Atendimento Educacional Especializado em Deficiência Mental. In: GOMES, Adriana L.; Limaverde Gomes et al. Deficiência Mental. São Paulo: MEC/SEESP, 2008.

OLIVEIRA, A. A. S. Aprendizagem escolar e Deficiência Intelectual: a questão da avaliação curricular. In: PLESTCH, M. D. & DAMASCENO, A. (orgs.). Educação Especial e inclusão escolar: reflexões sobre o fazer pedagógico desde a Educação Infantil até o Ensino Superior. Rio de Janeiro, Editora Edur, p.10-22, 2011.

 

PEREIRA, Rodrigo Roncato. O Papel da Variação do Número de Cópias Genômicas no Fenótipo Clínico de Deficiência Intelectual em uma Corte. Retrospectiva da Rede Pública de Saúde do Estado de Goiás. 2014. Disponível em https://files.cercomp.ufg.br/weby/up/101/o/Rodrigo_Roncato.pdf acesso em 01/06/2021.


RHEMA. Deficiência Intelectual: Intervenção E Estratégias Para O Desenvolvimento Dos Alunos. Disponível em: https://blog.rhemaeducacao.com.br/deficiencia-intelectual-intervencao-e-estrategias-
para-o-desenvolvimento-dos-alunos/ acesso em 03/06/2021.

SANTOS, Otilimilia Pedreira dos. Projeto De Intervenção No Processo Ensino E Aprendizagem De História Através Da Conexão Avaliação E Planejamento. 2016. Disponível em https://eventos.set.edu.br/enfope/article/download/4951/1749. Acesso em: 03/06/2021.


SILVA, Daianne Maria Barbosa da. O deficiente intelectual e o ensino de história-no centro de ensino especial de planaltina-DF. Brasília, DF, 2015. Disponível em https://bdm.unb.br/bitstream/10483/14469/1/2015_DaianneMariaBarbosadaSilva_tcc.pdf Acesso em 28/10/2021.

UNESCO. Declaração de Salamanca e Enquadramento da Acção na Área das Necessidades Educativas Especiais. Conferência Mundial sobre necessidades educativas Especiais: Acesso e Qualidade. Espanha, 1994.


VYGOTSKY, L. S. Fundamentos da Defectologia – Obras Escogidas – Tomo V. Madri: Visor, 1997.

CAPA Revista Amplamente 1.png

COMO CITAR:

FERNANDES, C. R F. Ensino de História em uma perspectiva inclusiva: didáticas diferenciadas para alunos com deficiência intelectual. Revista Eletrônica Amplamente, Natal/RN, v. 1, n. 1, p. 26-45, jan./mar. 2022.

Publicado: 21/01/2022

LICENÇA:

 

Licença CC-BY-NC-ND

Todo o conteúdo desta Revista eletrônica está licenciado sob uma Licença de atribuição Creative Commons. Atribuição-NãoComercial-
SemDerivações 4.0 Internacional.

Atribuição — Você deve dar o crédito apropriado, prover um link para a licença e indicar se mudanças foram feitas. Você deve fazê-lo em qualquer circunstância razoável, mas de nenhuma maneira que sugira que o licenciante apoia você ou o seu uso.

NãoComercial — Você não pode usar o material para fins comerciais.

SemDerivações — Se você remixar, transformar ou criar a partir do material, você não pode distribuir o material modificado.